COMO CONHECER A VONTADE DE DEUS


O início de ano é, geralmente, um período de consolidação de decisões tomadas por vários ministros do Evangelho. Em todo esse processo, não faltarão oportunidades nas quais o pastor e sua família desejarão conhecer a vontade do Senhor. No artigo a seguir, o Rev. Francisco Leonardo, com o seu costumeiro tom pastoral, compartilha o que foi benéfico para ele e sua família nesse sentido e deixa uma boa lição para muitos pastores atuais. Aqueles que tiveram o Rev. Francisco como mestre ou puderam segui-lo de perto, certamente o viram praticando esses princípios inúmeras vezes em seu ministério no Brasil.

Compartilho o texto abaixo com pastores que desejam não apenas conhecer, mas sinceramente fazer a vontade do Senhor em suas vidas. Assim como essas instruções têm sido benéficas para mim, espero que o sejam para muitos colegas ministros.

Em Cristo,

Valdeci Santos

Secretário Nacional de Apoio Pastoral da IPB

 

 

Como conhecer a vontade de Deus

Frans Leonard Schalkwijk

                O Senhor geralmente nos guia através da sua Palavra, pelas circunstâncias ou pelo conselho dos outros. Mesmo assim, certas situações continuam de difícil solução. O primeiro passo em prol de uma solução sempre é querer fazer a vontade de Deus, não somente conhecer a sua vontade. Se o nosso coração disser: “Sim, Senhor, pela tua graça, quero fazer a tua vontade”, o Espírito Santo nos guiará, não como se fosse por um GPS, mas mais como por uma bússola.

                Como seguí-lo? Confiar no Senhor e deixar ele nos guiar. E, num entroncamento, não passar por uma luz vermelha!

                O que nos tem ajudado na resolução de situações como estas são passos simples:

  1. Escreva num papel Sl 25.12; 32.8; 143.10 (promessas de Deus e nossa oração).
  2. Depois, faça duas colunas.
  3. Na coluna esquerda, coloque um grande “+” (positivo), e na direita um “-” (negativo).
  4. Orando, comece anotar os argumentos pró (+) e contra (-).
  5. Depois, anote a sua conclusão preliminar.
  6. Por umas semanas, coloque-a diante do Senhor e fale sobre ela com irmãos dedicados.
  7. Acrescente ou mude os seus argumentos pró ou contra.
  8. Escreva a sua conclusão final, colocando-a diante do Senhor.
  9. Tendo paz, ande (pois cavalo parado não dá para guiar). Ande com cuidado e . . .
  10. Confie que Deus colocará m obstáculo se for necessário, baseando-se em Rm 8.28.

Tópico: .....................................................

Salmo 25.12; 32.8; 143.10

 

+

-

  1.  
  1.  
  1.  
  1.  
  1.  
  1.  
  1.  
  1.  
  1.  
  1.  

Conclusão preliminar: .......................................................................................

Orar e falar: ......................................................................................................

Conclusão final: ................................................................................................

Orar e andar (desvio? Romanos 8.28)

                Mas se por desobediência entrarmos num caminho errado, criando uma situação irreversível? Confessamos nosso pecado, não procurando consertar o impossível por nós mesmos. Assim, Moisés, depois da revolta advertiu os israelitas a não tentar entrar mias em Canaã (Nm 14.44). Também, Samuel não voltou para trás depois de o povo reconhecer que errou ao exigir um rei, mas ele os advertiu a continuar a caminhada, obedientes a Deus (1Sm 12.20,23).

                Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, e que ele transforma as nossas derrotas nas suas vitórias.

Extraído de Meditações de um Peregrino. Cultura Cristã, 2014.