O DIA DO PASTOR PRESBITERIANO: O QUE VOCÊ TEM A VER COM ISSO?


O Dia do Pastor Presbiteriano: O que você tem a ver com isso?

 

“Lembrai-vos dos vossos guias, os quais vos pregaram a palavra de Deus . . .”

(Hebreus 13.7)

 

O dia 17 de dezembro é celebrado na Igreja Presbiteriana do Brasil como “o Dia do Pastor Presbiteriano”. Essa data marca a ordenação do primeiro pastor presbiteriano brasileiro ao sagrado ministério, ou seja, José Manuel da Conceição, em 1865. José Manoel era um ex-padre que, após ser excomungado da igreja Católica Romana por aceitar a fé evangélica, foi devidamente discipulado e posteriormente ordenado pelo Presbitério do Rio de Janeiro, sob a presidência do Rev. Ashbel Green Simonton.

O ministério de José Manoel da Conceição foi caracteristicamente itinerante, visitando as cidades onde ele havia servido como padre. Todavia, antes mesmo de sua ordenação ao pastorado, o “padre evangélico”, como era conhecido, já visitava famílias orando e pregando a Palavra de Deus. Esse trabalho se intensificou após a sua ordenação e como resultado de seus esforços na evangelização de católicos romanos ele foi perseguido e muito sofreu pelo Evangelho. Como fruto de seu trabalho, foram estabelecidas igrejas em Brotas, Americana, Santa Bárbara e várias outras cidades. No dia 25 de dezembro de 1873, Conceição morreu em Barra do Piraí, RJ, após ter pedido que queria “ficar a sós com Deus”.[1]

Em lembrança ao legado de José Manoel, foi estabelecido um dia para os pastores presbiterianos e suas famílias celebrarem a bênção de poderem servir ao Supremo Pastor apascentando o rebanho comprado pelo sangue de Cristo. Esse dia marca, também, a oportunidade para que os membros da Igreja Presbiteriana do Brasil expressem a gratidão e apreço aos seus pastores pelo trabalho realizado. Todavia, como bem observa Jeremias Pereira,

. . . no dia do pastor muitos serão lembrados; outros nem um abraço receberão. Muitos ganharão presentes, abraços e boas palavras; outros, talvez, nada receberão ou podem até receber um presente que foi motivo de contenda, pois nem todos queriam cooperar para que a igreja doasse aquele presente.[2]

De fato, nenhum pastor conseguirá atender as expectativas de todos os membros de sua congregação. Também, nem todo pastor cuida do rebanho a ponto de ter o seu trabalho facilmente reconhecido pelas suas ovelhas. Ainda assim, considerando o princípio bíblico de acatar com apreço os que trabalham presidindo e exortando o rebanho (1Ts 5.12-13), é dever do crente expressar gratidão àqueles que cumprem fielmente o pastorado. Além do mais, o crente ainda é exortado a se lembrar especialmente daqueles que pregam a Palavra de Deus (cf. Hb 13.7) e o membro da IPB pode fazer isso de maneira especial, no dia 17 de dezembro.

                Com o objetivo de facilitar o reconhecimento ao pastor presbiteriano pelo seu pastoreio, sugerimos abaixo algumas formas práticas, simples, mas significativas, de como cada cristão pode proceder. Certamente essas atitudes não se limitam apenas a um dia do ano, mas essa data deveria nos motivar a uma reflexão mais dinâmica sobre o assunto.

  1. Respeite a liderança do seu pastor.  O escritor bíblico exorta os leitores da carta aos Hebreus a serem obedientes e submissos aos seus guias espirituais, pois eles cuidam da alma de cada ovelha no rebanho (cf. Hb 13.17). Essa atitude, segundo o texto, beneficia não apenas o obreiro,

que realizará o seu trabalho com alegria, mas também o crente, que é assistido pelo cuidado do pastor. A implicação do princípio bíblico é que obedecer é uma forma de expressar honra e gratidão a alguém. Muitos líderes se sentem completamente frustrados e decepcionados quando, depois de se dedicarem tanto em prol dos liderados, recebem apenas críticas, contestações e insubmissão. O pastor tem grande dificuldade e desestímulo em continuar cuidando da ovelha recalcitrante. Logo, honre o seu pastor sendo obediente aos seus ensinamentos.

 

  1. Procure conhecê-lo melhor. Ainda que todo crente saiba, na teoria, que deve desenvolver um relacionamento mais próximo com o seu pastor, o fato é que na prática, muitas vezes, ele só se lembra do ministro quando necessita dos seus cuidados, conselhos ou trabalho. Mas, aquele homem do púlpito que parece possuir convicções fortes, o controle completo das situações e estabilidade emocional em todos os momentos também é humano e frágil. Como todo ser humano, o pastor tem necessidades espirituais, físicas, emocionais e relacionais. Ele também necessita de conselhos e instruções para diferentes áreas de sua vida. Portanto, procure conhecer melhor o seu pastor e assim você saberá como ajudá-lo eficazmente.

 

  1. Respeite a esfera de trabalho do seu pastor. Pelo fato de estar disponível para atender ao rebanho, muitos pastores acabam fazendo coisas que estão fora de sua competência. Pior ainda, há alguns membros da igreja que se aproveitam da disposição e bondade do pastor e solicitam que ele faça coisas que, além de não ter qualquer relação com o ministério pastoral, acabam atrapalhando que ele exerça o pastoreio devidamente. Há aqueles que esperam que o pastor seja o secretário da igreja, o office-boy do Conselho ou até o zelador a cuidar da limpeza e do bom funcionamento das dependências do templo. Se o pastor mora próximo à igreja, então ele deve estar sempre pronto a “correr com as chaves” quando alguém precisar ter acesso à propriedade. Além de desrespeito para com a vocação ministerial daquele que foi chamado para se afadigar “na palavra e no ensino” (1Tm 5.17), essa pressão acaba impedindo que outras pessoas no Corpo de Cristo ofereçam sua contribuição e exercitem seus dons. Logo, uma boa e simples maneira de honrar o seu pastor é respeitando a esfera de atuação dele.

 

  1. Cumpra os seus deveres como cristão e membro da igreja local. O apóstolo Paulo insiste que os cristãos olhem para a igreja não apenas como uma organização, mas como um organismo, ou seja, um corpo (cf. 1Co 12). Sendo um corpo, cada membro da igreja possui sua função específica e essa deve ser exercitada não apenas para a glória de Deus, mas para a manutenção da saúde e o bom funcionamento do corpo. Quando isso acontece, o pastor que lidera e orienta os membros da igreja pode focalizar em outros aspectos específicos do seu trabalho e até render mais benefícios para a igreja onde ele serve. Grande parte da agenda do pastor é consumida fazendo coisas que são responsabilidades e deveres de outros membros da igreja local. Por exemplo, se você se comprometer em convidar pessoas para visitar a igreja, evangelizar, se dispor a dirigir pequenos grupos, ensinar na Escola Dominical, contribuir regularmente e tantas outras pequenas coisas, já imaginou a diferença que isso poderia fazer? De fato, se você participar regularmente das atividades da igreja e chegar no horário estipulado, já será motivo de grande alegria para o seu pastor. Todas essas coisas são deveres que um cristão maduro assume e elas contribuem para o bem-estar do Corpo de Cristo.

 

  1. Ore constantemente por seu pastor e família. Seu pastor necessita de suas orações. Na verdade, os próprios apóstolos careciam disso e Paulo geralmente solicitava às igrejas que intercedessem por ele e pelo seu ministério (cf. 1Ts 5.25 e 2Ts 3.1). São muitas as tentações e lutas enfrentadas por um ministro da Palavra. Existe a tentação ao desânimo quando a igreja não corresponde ao investimento de tempo e esforços, a luta para ser um exemplo de piedade para o rebanho e as dificuldades de manter a saúde emocional quando sua própria família é continuamente julgada e criticada. Também, há o fato de que quando Satanás consegue atingir, com suas investidas, o pastor ou algum membro da família, toda a igreja sofre. E, por isso, parece que o inimigo manifesta uma preferência por atacar os obreiros a serviço do Senhor. Logo, interceda diariamente pelo seu pastor, suplicando que a graça de Deus seja superabundante sobre a vida, família e ministério dele. Ao fazer isso, você estará honrando, de maneira especial, o pastor que Deus colocou para cuidar de sua vida e sua família.

Nesse dia 17 de dezembro, celebre o Dia do Pastor em sua Igreja Presbiteriana local! Reconheça os benefícios do seu ministério sobre sua vida e sobre o rebanho de Cristo. Porém, não limite essa celebração apenas a esse dia! Comprometa-se a estendê-la ao restante de sua vida cristã e ao seu crescimento espiritual.

Valdeci Santos 

[1] MATOS, Alderi S. A vida do Rev. José Manoel da Conceição. Disponível em: https://agrestepresbiteriano.com.br/a-vida-do-rev-jose-manoel-da-conceicao/.

Acesso em: 10/12/2018.

[2] PEREIRA, Jeremias. 17 de dezembro - dia do pastor presbiteriano. Disponível em: https://www.oitavaigreja.org.br/17-de-dezembro-dia-do-pastor-presbiteriano/. Acesso em 10/12/2018.