O PASTOR E O PLANEJAMENTO


Na última postagem refletimos sobre O pastor e suas finanças. Essa semana, temos a oportunidade de ponderar um assunto intimamente conectado àquele tema, ou seja, a importância do planejamento no ministério pastoral. O escritor desse artigo é o Rev. Fábio B. Coutinho, um querido amigo e colega de ministério que traz sua experiência como administrador e empresário à essa área do ministério pastoral. Minha esperança é que você seja encorajado e desafiado por esse artigo a dar maior atenção à essa área em sua atividade ministerial.

Que o Senhor continue abençoando sua vida e ministério!

Em Cristo,

- Valdeci Santos

 

O Pastor e o Planejamento

Fábio B. Coutinho

Você se lembra da história dos três porquinhos? Nela temos um exemplo clássico de planejamento. Você deve se lembrar que aqueles porquinhos precisavam construir suas casas. Pois bem, o primeiro resolveu construir uma casa de palha, pois assim seu trabalho seria mais rápido. Ele se achava esperto, não planejou nada e fez o seu lar às pressas. Consequentemente, a sua construção foi a primeira a ser derrubada pelo lobo. O segundo porquinho resolveu construir sua casa de madeira, achando ser um pouco mais esperto, porém não considerou todos os pontos fracos de sua construção. A casa de madeira foi a segunda a ser destruída pelo lobo. O fato é que tudo que é mal planejado, mesmo que tenha um bom começo, geralmente dá errado no fim. O terceiro porquinho, após analisar todas as possibilidades, construiu uma casa de alvenaria e o lobo não conseguiu derrubá-la. Se você analisou bem a história, percebeu que o último porquinho foi o único que fez um planejamento detalhado. Logo, a casa dele suportou todos os ataques do lobo. Portanto, planejar levará você mais longe e te deixará mais seguro na busca de seus objetivos.

A verdade é que diante de você estão milhares de oportunidades! A grande questão é como você poderá transformar essas oportunidades em realizações e assim trabalhar bem para o Reino e para glória de Deus? Simples: pedindo orientação do Senhor em oração e fazendo um bom planejamento. O princípio básico nesse caso é bem compreensível: você precisa saber onde está e aonde quer chegar. Tendo isso em mente, você trilhará uma série de etapas que o levarão até o seu objetivo final. Quem planeja tem mais chances de sucesso, pois pavimenta uma estrada para caminhar com segurança e tranquilidade. O Senhor Jesus deixa o princípio do planejamento claro no registro do Evangelho segundo Lucas, 14.25-33, quando diz: “Pois qual de vós, pretendendo construir uma torre, não se assenta primeiro para calcular a despesa e verificar se tem meios para a concluir?”. Além do mais, Jesus demonstrou organização e foco em seu ministério. Se o nosso Mestre tinha princípios de planejamento, por que agir diferente dele? Em Provérbios 16.1 lemos: “O coração do homem pode fazer planos, mas a resposta certa dos lábios vem do Senhor”. Por isto planeje, mas submeta todos seus projetos à vontade do Senhor.

Em vista do exposto, quero considerar alguns passos úteis para um bom planejamento. Vale lembrar que esses são apenas passos básicos. Outros mais elaborados e específicos poderão ser abordados posteriormente.

  1. Eleja prioridades – Você não conseguirá “abraçar o mundo com as mãos”. Alguns pensam tão amplamente que perdem oportunidades próximas e factíveis. Planos elevados demais, metas grandiosas podem te levar ao desânimo e à falta de foco, consequentemente seu planejamento será comprometido (cf. Salmo 131).
  2. Procure ajuda – Nenhum ser humano é completo. Graças a Deus por isso! Precisamos de nosso Senhor e de outros irmãos na nossa caminhada cristã. Portanto, analise as suas competências e não tenha receio de procurar pessoas que possam ajudá-lo. Humildade é um excelente requisito para o planejamento no Reino de Deus. Caso queira se aprofundar mais, existem bons livros[1] no mercado sobre o assunto.
  3. Clareza: O seu planejamento deve ser o mais transparente e acessível possível, pois as pessoas, ao se depararem com metas claras, serão atraídas. Assim, haverá mais sinergia na execução e uma maior possibilidade de êxito.
  4. Utilize-se de boas ferramentas: Existem algumas ferramentas clássicas da Administração que poderão te ajudar a montar um excelente planejamento. Veja:
  1. Análise SWOT: Strenghts (Forças); Weaknesses (Fraquezas); Opportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças). Essa ferramenta serve para analisar o que temos de melhor (Forças), quais nossos problemas e maiores dificuldades (Fraquezas), ajuda também a percebermos quais as melhores condições para execução do nosso planejamento (Oportunidades) e nos ajuda a prever possíveis problemas que, porventura, possam surgir (Ameaças);
  2. Ciclo PDCA: É uma ferramenta de gestão que tem como objetivo promover a melhoria contínua dos processos por meio de um circuito de quatro etapas: planejar (plan), fazer (do), checar (check) e agir (act). Com essa ferramenta, você tem condições de analisar e acompanhar o seu planejamento, detectando problemas e fazendo a correção dos erros durante o próprio processo de execução do projeto.
  3. O 5W2H: É uma ferramenta administrativa utilizada para a elaboração de planos de ação e também, como as que já foram apresentadas, de fácil manuseio. O seu nome é derivado de sete perguntas em inglês, sendo que cinco delas começam com a letra W e as demais com a letra H, por isso a sigla 5W2H. As perguntas são: What? O que será feito (ações, etapas, descrição). Why? Por que será feito (justificativa, motivo). Where? – Onde será feito (local). When? – Quando será feito (prazo, datas, tempo). Who? – Por quem será feito (responsabilidade pela ação). How? – Como será feito (método, processo). How much? Quanto custará fazer (gastos ou custos envolvidos).
  1. Faça um Orçamento: Muitos projetos que foram cuidadosamente elaborados desmoronam por falta de um bom orçamento financeiro. É assim na vida pessoal, empresarial e também na igreja. Precisamos ser mais cuidadosos para lidar com os recursos que Deus colocou à nossa disposição e otimizarmos ao máximo o seu uso e possíveis aplicações. Quando lidamos com recursos financeiros, todo cuidado é pouco, tanto na vida pessoal quanto na eclesiástica. Para facilitar esse processo, trabalhe com uma planilha orçamentária. Ela é uma ferramenta imprescindível nesse caso.

Finalmente, esse é um assunto demasiadamente extenso e nessa publicação seria impossível abordar todas as vertentes possíveis para um bom planejamento nos diversos âmbitos. Nosso desejo foi apenas chamar a sua atenção para essa importante área de sua vida pessoal e eclesiástica. Além de Jesus, nosso maior exemplo em todas as áreas, podemos aprender muito com Neemias e a forma como ele planejou a execução da obra de reedificação de Jerusalém. No mais, não se acomode irmão. Deus entregou em sua mão a possibilidade de realizar uma grande obra em Seu Reino. Lembre-se das palavras inspiradas do profeta Jeremias: “Maldito aquele que fizer a obra do SENHOR relaxadamente...” (Jr 48.10 a).

 

[1] Gerente Minuto – Kenneth Blanchard e Spencer Johnson; Administração Estratégica – Fernando Serra, Maria Torres, Manuel Ferreira e Alex Torres; A Quinta Disciplina – Peter M. Senge.