O DEUS DO LIVRAMENTO


“Tu és o meu esconderijo; tu me preservas da tribulação e me cercas de alegres cantos de livramento” Salmo 32.7

Davi faz três afirmações no texto em apreço. A primeira é que Deus é o nosso esconderijo. Quando os inimigos nos espreitam e nos atacam, em Deus encontramos refúgio seguro. Quando somos encurralados por circunstâncias medonhas e nos sentimos num beco sem saída, Deus sai em nossa defesa e se torna o nosso esconderijo.

A segunda afirmação é que Deus nos preserva da tribulação. Tribulação é uma pressão que vem sobre nós, achatando-nos, como se um rolo compressor nos esmagasse. Não conseguimos nos livrar dessas situações por nós mesmos. Nossa força é muito fraca. Nossa destreza é assaz impotente. Nossos recursos são escassos. Porém, Deus nos acolhe em seus braços, fortalece o nosso coração, refrigera a nossa alma e nos dá ânimo para prosseguir.

A terceira afirmação é que Deus nos cerca com alegres cantos de livramento. Com o livramento vem a alegria. O mesmo Deus que nos livra dos perigos, também põe nos nossos lábios um hino de louvor. Tanto a solução do problema que nos aflige como o sentimento de júbilo que emana de nosso coração em virtude do livramento são obras divinas. Deus é o nosso libertador e o motivo da nossa mais entusiástica alegria. Você tem o Deus vivo como seu refúgio? Tem experimentado socorro nas tribulações? O Senhor tem sido a sua alegria?